Há uma semana: uma reflexão em meio ao coronavírus

Pois é, em meio à pandemia de coronavírus, até minha inspiração deu as caras e deu vontade de escrever….

Há uma semana, 

Abraçávamos nossos amigos

Beijávamos nossos pais e nossos avós

Em um piscar de olhos, algo mudou tudo,

E mudou muito!

Não podemos pensar só em nós

Há uma semana, 

Ajudávamos os mais velhos 

A carregar suas compras ou atravessar a rua

Mas o melhor que podemos fazer por eles agora

É manter distância e conscientizá-los

A decisão é somente sua

Há uma semana,

Saíamos de casa despreocupados,

Pensar onde tocar não era uma questão

Agora, algo que não podemos ver 

Pode matar quem amamos

Repensamos cada abraço, e cada aperto de mão

Há uma semana também,

Temos visto esperança em meio ao caos

Pudemos ver como a vida ainda é bela

Vizinhos que moram lado a lado 

Interagem pela primeira vez

Ainda que pela janela

Há uma semana,

As águas limparam e a poluição diminuiu

Voltamos a ver o que há tempos não vemos

Lembramos inclusive de olhar pra dentro

Tivemos mais calma para falar

Recordamos as coisas pelas quais vivemos

Eu sei que em outros lugares do mundo 

Não faz apenas uma semana

Mas lá tiveram a primeira semana, sem saber

Sem imaginar o que ia acontecer, 

E mais: eles tiveram as próximas

E essas, meu amigos, nós não vamos querer ter

Precisamos agir enquanto há tempo

Protegendo a nós mesmos, e aos outros

Se parar é necessário, então vamos parar

Torcendo para que seja breve,

Pensando em toda comunidade,

É nossa chance de renascer e de renovar

Roteiro de trilhas na Patagônia: o que conhecer

Sem dúvidas, o ápice do nosso trajeto foi o amanhecer no Fitz Roy

Este ano, realizei uma das maiores aventuras da minha vida: uma viagem de 20 dias rumo à Patagônia, com direito a muita trilha, acampamento no frio, trekking de quase 100km e claro, paisagens lindíssimas. 

Fui com meu namorado e um casal de amigos, a Patrícia e o Rui, que planejaram e sonharam tudo conosco durante meses antes da viagem. 

E esse é justamente o tipo de viagem que precisa de um roteiro bem organizado, por isso pesquisamos bastante antes de partir. 

Agora, resolvi escrever aqui a nossa experiência, para que outras pessoas que queiram se aventurar tenham mais material na hora de se preparar. 

O PLANEJAMENTO DO TRAJETO

O Rui foi o cara mais engajado na missão de desvendar os locais desde o começo, então ele a Patrícia criaram a primeira estrutura da rota. 

Falo em “missão” porque a Patagônia é uma região que abrange uma grande área no extremo sul da América do Sul, ocupando partes da Argentina e do Chile, ou seja, são muitas possibilidades de roteiro! 

Nós selecionamos nossos pontos de interesse primeiro, e fomos montando o restante da rota conforme com base nisso. Eles eram, principalmente: Fitz Roy, na Argentina, Torres del Paine, no Chile e Ushuaia, a famosa cidade do fim do mundo.

E mesmo depois de saber qual parte queríamos conhecer, surgiram muitos detalhes específicos que são difíceis de encontrar na internet. Principalmente no nosso caso, já que o trajeto envolvia acampamento e rotas mais remotas.

Então, fomos nos reunindo (e conversando muuuito via whatsapp), para alinhar cada vez mais os detalhes.

Nossas condições principais para pensar no roteiro foram: aproveitar o máximo de tempo com o mínimo de gasto. E geralmente é assim quando viajo, tento fazer a maioria de coisas possíveis, e encaixo programações a cada intervalo livre. 

Vou compartilhar o roteiro básico diário que seguimos, que eu acho que já pode dar uma boa orientação para quem pensa em fazer algo do tipo. Vamos lá:

DIA 01

🚗Santa Maria > Uruguaiana (carro: 382km)

🚕Uruguaiana (Brasil) > Paso de Los Libres (Argentina) (carro/transfer)

🚌 Paso de Los Libres > Buenos Aires (ônibus: 671km – noite)

DIA 02

📷 Chegada em Buenos Aires – dia livre para passear e descansar

DIA 03

✈Vôo de Buenos Aires para Ushuaia 

🚶Trilha Glaciar Martial (2km ida e volta, com subida bem íngreme)

DIA 04

📷 Caminhada com pinguins e navegação pelo Canal Beagle

DIA 05

🚶Trilha para Laguna Esmeralda (9,8km ida e volta)

DIA 06

📷 Parque Tierra del Fuego 

(final da rota 3, trem do fim do mundo, correio do fim do mundo, etc.)

DIA 07

✈Voo para El Calafate

🚗El Calafate > El Chalten (carro: 214km)

⛺ Pernoite El Chalten (Eco Domos)

DIA 08

 🗻Início trilha rumo a Laguna de Los Tres (mirante Fitz Roy)

🚶Hosteria El Pilar > Campamento Poincenot (trilha: 8km)

⛺ Pernoite no acampamento Poincenot (levamos barracas que alugamos na cidade)

Obs.: O roteiro inicial seria avançar rumo a Laguna de Los Tres neste dia. Mas, como estava chovendo e bastante nublado, optamos por não subir e alteramos o roteiro que, inicialmente previa Fitz Roy neste dia, e Cerro Torre no dia seguinte. Optamos por cancelar a ida ao mirante do Cerro Torre.

DIA 09

 🗻Parte final trilha rumo a Laguna de Los Tres (mirante Fitz Roy)

🚶Campamento Poincenot > Laguna de Los Tres (trilha: 2km, subida muito íngreme)

🚶Laguna de Los Tres > Hosteria El Pilar (trilha: 10km)

🚗El Chalten > El Calafate (carro: 214km)

DIA 10

🚌 El Calafate > Parque Nacional Los Glaciares (ônibus: 48km)

📷 Glaciar Perito Moreno

DIA 11

🚌 El Calafate (Argentina) > Puerto Natales (Chile) (ônibus: 272km)

🍲Compras de mantimentos para os próximos dias

DIA 12

 🗻Ida para o Parque Nacional Torres del Paine – Início Circuito W

🚌 Puerto Natales > Laguna Amarga / Camping Central (ônibus: 122km)

🚶Camping Central > mirante base das Torres (trilha: 20km ida e volta)

⛺ Camping Central

DIA 13

🚶Camping Central > Camping Los Cuernos (trilha: 15km)

⛺ Camping Los Cuernos

DIA 14

🚶Camping Los Cuernos > Vale do Frances > Camping Paine Grande (trilha: 24km)

⛺ Camping Paine Grande

DIA 15

🚶Camping Paine Grande > Refugio Grey > Mirador Glaciar Grey (trilha: 14km)

⛺ Refugio Grey

DIA 16

🚶Refugio Grey > Camping Paine Grande (trilha: 11km)

🚌Parque Nacional Torres del Paine > Puerto Natales (ônibus: 122 km)

E começamos a voltar, aproveitando pra tirar mais alguns dias de passeios pela capital portenha pra fechar com chave de ouro. Aliás, eu já escrevi um post com dicas de Buenos Aires aqui no blog também, confere lá.

DIA 17

🚌 Puerto Natales (Chile) > El Calafate (Argentina) (ônibus: 272km)

✈Voo El Calafate > Buenos Aires

DIAS 18

📷 Buenos Aires

DIA 19

📷 Buenos Aires

🚌 Buenos Aires > Paso de Los Libres (ônibus: 671km – noite)

DIA 20

🚕Paso de Los Libres (Argentina) > Uruguaiana (Brasil) (carro/transfer)

🚗Uruguaiana > Santa Maria (carro: 382km)

E chegamos ao fim da trip!

Fizemos uma foto no mesmo local de partida, para marcar nossa chegada. Só que agora trazendo muito mais bagagem (e não tô falando das mochilas, essas não poderiam aumentar mais por conta do peso kkk).

Aos poucos vou compartilhando detalhes de cada lugar em novos textos. Espero poder ajudar outros aventureiros com essas informações, e se surgir curiosidade sobre algum destino em especial, é só me falar por aqui ou pelo instagram @luanamauler. =)

Lembremo-nos: um relato sobre encerramento de ciclos

Encerrar ciclos envolve muitos sentimentos. Gratidão pelo que passou, e dúvidas sobre o que está por vir. A formatura é um destes momentos em que passa um turbilhão de lembranças em questionamentos em nossas cabeças.

É a celebração da superação de um desafio em comum, que foi aceito por cada um dos formandos, há alguns anos atrás. Comemoramos o alcance de um mesmo objetivo, sonhado e batalhado em diferentes situações de vida. A escolha foi duvidosa, o caminho não foi fácil, mas é a superação dos desafios que nos fortalece.

Por exemplo, eu sempre vi o discurso de um orador de turma, como um momento importante, mas nunca havia me imaginado exercendo essa função. Inclusive, no semestre anterior ao da minha formatura, enquanto eu assistia à colação de grau do curso de Ciências Contábeis da UNISC, onde estavam se formando muitos dos amigos que fiz nesta instituição, eu imaginava que dali a seis meses, seria eu. Porém, naquele momento, eu tinha certeza de que eu não teria coragem para falar especificamente como oradora, pois não deveria ser nada fácil estar na frente dos colegas, mestres, familiares e amigos, para falar sobre a conclusão de uma etapa, na qual todas essas pessoas foram importantes e acompanharam o desenvolvimento de perto.

Eis que a vida dá voltas, os desafios surgem e, no dia 27 de agosto de 2017, me vi lá, com a tarefa de falar justamente para todas essas pessoas… E continuo achando que não é fácil!

Acredito que as oportunidades surgem em nossas vidas para nos instigar a melhorar, para nos desafiar e fazer com que superemos nossos medos. E a formatura só é possível por conta de uma sucessão de oportunidades que nos desafiaram, e que aceitamos enfrentar.

É isso que o ingresso na vida acadêmica faz: nos desafia! É um grande e importante desafio, repleto de outros pequenos e cotidianos desafios. Desde o início, passamos a vivenciar diferentes condições que nos estimulam a melhorar nossa forma de agir e de pensar. Nos fazem sair de nossa zona de conforto.

Quantos de nós pensaram que não conseguiriam realizar um curso de graduação, seja por falta de tempo para estudar e passar no vestibular, ou por não conseguir conciliar a rotina com outros afazeres, ou ainda, por dificuldades financeiras. São motivos corriqueiros, que fazem com que muitas pessoas tenham que abrir mão do sonho. Depois, quantos de nós tiveram dificuldade em disciplinas, naquelas clássicas do curso que amedrontam a todos. Quantos não passaram dias e noites a fio, quebrando a cabeça para ajustar a rotina aos períodos de estudo, realizando trabalhos e, frequentemente, dormindo muito pouco. Quantos de nós ficaram em dúvida quanto ao tema do trabalho de conclusão, e desafiaram seus próprios receios para apresentar o resultado final perante à banca avaliadora.

Estes são apenas alguns exemplos de desafios que muitos de nós, se não achamos que não conseguiríamos, pelo menos sabíamos que não seria fácil. Realmente, mais uma vez, não foi fácil, mas também não foi impossível. E foi tão possível, que hoje estou aqui! Sabemos que são desafios que foram superados, e que muito contribuíram para o nosso desenvolvimento acadêmico e profissional.

Em meio a isso, gostaria de fazer um apelo, a mim mesmo, e à todos que se identificam com esse sentimento, para que levemos como uma missão daqui para frente: basicamente, pedimos para que LEMBREMO-NOS. Lembremo-nos de duas coisas, em especial:

Primeiramente, de nosso FUTURO, de continuar aprendendo, para continuar tentando melhorar sempre. Para mantermos a disciplina das classes profissionais, e o alto nível de ensino e formação das instituições. Para buscarmos, cada vez mais e de melhor forma, repassar o nosso conhecimento a quem dele necessite, considerando a amplitude e constante ascensão do mercado contábil. Para assim, lutarmos para melhorar a situação de nosso país, enfrentando desafios com sabedoria e prezando por uma atuação condizente com os princípios éticos, ao mesmo tempo em que executamos nossas tarefas com eficiência.

Além disso, pedimos para que lembremo-nos também, de nosso PASSADO. Para que durante todos os dias daqui pra frente, não nos esqueçamos de lembrar o que vivemos para chegar até aqui. Lembremo-nos dos mestres que nos orientaram, dos colegas que dividiram conosco as angústias e alegrias que passamos durante a graduação, dos familiares, amigos e de todas aquelas pessoas que nos apoiaram, incentivaram, inspiraram e assim, nos ajudaram a seguir em frente, para hoje estarmos comemorando esta conquista, pois a estas pessoas devemos nosso maior agradecimento. E principalmente, lembremo-nos de que não foi fácil, mas que não foi impossível, tanto que superamos o desafio de alcançar nosso objetivo.

Destaco estas duas grandes riquezas da vida, as quais precisamos sempre lembrar: o futuro e o passado. E em meio a essa relação, surge a dúvida sobre o presente. E quanto à ele, gostaria de deixar uma frase que gosto muito, de Chico Xavier, que diz ‘crê em ti mesmo, age e verás os resultados. Quando te esforças, a vida também se esforça para te ajudar’. E é realmente isso: enquanto lembramos do futuro, e do passado, devemos acreditar em nós mesmos, e agir. Dedicar nossos maiores esforços para o pleno desenvolvimento do agora.

Nós precisamos viver o presente, aproveitar e tentar tirar o melhor de cada momento, para que sejamos melhores a cada novo futuro que passarmos a viver, e lembremos de cada vez mais conquistas que realizamos no passado. Como justamente a comemoração pela formatura, que é a coroação da superação de vários desafios de cada um de nós, e que amanhã, vamos apenas lembrar.

Por isso, vamos viver e celebrar os momentos, da forma mais plena possível, para que cada presente se torne uma de nossas melhores lembranças do passado, no futuro.

* escrito com trechos do meu discurso de formatura, como oradora da turma de Ciências Contábeis, realizada em 27/08/2016 na Universidade de Santa Cruz do Sul.

Meu mês em fotos: setembro/2016

Na última publicação eu falei que depois da formatura os posts novos viriam com mais gás ainda, não é mesmo? Eis que agora que vai ser pra valer!

O mês de agosto passou batido aqui nos registros fotográficos, mas estou preparando um post bem lindo sobre a formatura, que foi dia 27 de agosto, para tentar compensar minha ausência e contar um pouquinho de como foi esse dia tão esperado pra mim. Hora de falar então do mês de setembro…

01 – CONHECENDO DEUS

01.JPG

Os trocadilhos são inevitáveis, mas não me levem a mal. Hehehe. Trata-se de um presente de formatura que ganhei do meu namorado: uma garrafa de DeuS Brut des Flandres, uma cerveja tão peculiar quanto seu nome! Só para dar uma ideia, ela é produzida pela Cervejaria Bosteels, inicialmente na Bélgica, e depois é depois transferida para a França, onde passa pelo processo champenoise, o mesmo utilizado para a fabricação do champagne, fazendo uma segunda fermentação em garrafa, passando mais alguns meses em caves. O processo deixa a bebida tão carbonatada que parece muito com espumante, mas com certo sabor de cerveja, ao mesmo tempo em que é adocicada… Enfim, uma experiência tão singular quanto sua complexidade!

02 – MÊS DOS GAÚCHOS

02.JPG

Setembro é o mês em que o Rio Grande do Sul está, mais do que nunca, cultuando suas tradições. Além do chimarrão diário, dos churrascos de domingo (ou de sempre que surgir oportunidade) e de costumes gaúchos, a tradição é exaltada em todos os cantos do estado, com programações especiais em cada cidade. É quando ocorre a Semana Farroupilha, por conta da data de 20 de setembro, que em 1835 marcou o início da Revolução Farroupilha, o mais longo e um dos mais significativos movimentos de revoltas civis brasileiros, envolvendo em suas lutas os mais diversos segmentos sociais, e que durou cerca de dez anos. É tempo de ter ainda mais orgulho das raízes, e o registro é da abertura dos festejos farroupilhas na minha cidade, Candelária-RS. Bairrismo puro, com muito orgulho!

03 – VALORIZANDO O QUE É BOM E DAQUI

03.JPG

O Festival da Cerveja Gaúcha teve sua 3ª edição em 2016, e (felizmente!) tem sido cada vez melhor. Ocorre na cidade de Santa Cruz do Sul – RS e, neste ano, foi nos dias 09 e 10 de setembro, ou seja, no mês dos gaúchos mesmo, não tinha data melhor! O Rio Grande do Sul é um dos principais estados produtores de cervejas artesanais do país e o festival valoriza a produção de cerveja local, além de fomentar a cultura cervejeira e incentivar o público a conhecer e entender a importância de se consumir e apreciar produtos de qualidade, alto valor agregado, cheios de criatividade e inovação. A data do ano que vem ainda não foi divulgada, mas o que é certo é que vai ter muita cerveja, comida e música boa, além de uma organização impecável que está sempre de parabéns. Ah, e também é certo que nós estaremos lá! Hahah.

04 – TEMPORADA DAS FLORES

04.JPG

Apesar de a rinite atacar enlouquecidamente, eu adoro a primavera. É natural cada estação do ano ter seu lado bom, e outro nem tanto, por isso que eu tento focar no que vai me trazer mais alegrias. Neste caso, são as flores, os perfumes, o colorido, o clima… Ai, ai! É tudo de bom…

05 – CONTINUA LINDO

05

Olha, se Gil já cantava que era lindo o Rio de Janeiro, hoje posso afirmar que continua! Foi o nosso destino nos últimos dias do mês. É tudo aquilo que diziam mesmo… maravilhosa, encantos mil e tudo mais. É uma sensação muito legal ver de pertinho aqueles tão lugares conhecidos por fotos e televisão. Quem tiver oportunidade de ir, não pode perder. Mas não sem antes ler o post que vou fazer sobre a viagem daqui a alguns dias, com um pouquinho do que mais curti por lá.

Agora vamos em frente que outubro tá passando e mais posts estão por vir!

Meu mês em fotos: julho/2016

Gente, os dias andam tão corridos que os registros do mês de julho só estão saindo hoje por aqui. Mas é por uma boa causa: minha formatura está chegando!!! É tanta coisa pra decidir, preparar… Tá sobrando pouco tempo pra criar novos escritos. Mas prometo que no mês que vem o blog vem com mais gás ainda!

Consegui focar uns minutinhos aqui pra separar as fotos do mês passado. E vou dizer que a natureza foi a bola da vez hein, aliás, o foco do mês. Mas claro, sem pretensão nenhuma. Agora que fui fazer a revisão mensal do instagram e me dei conta disso. Ah, e por falar nisso, vocês já viram o perfil no instagram que criei para compartilhar as coisas aqui do blog? Acessem lá: @alemdasredes, sigam e espalhem muitas coisas boas junto comigo! 😀

FOTO 01 – ENTARDECER NA ESTRADA

01.JPG

Nessas idas e vindas sobram belas paisagens e faltam palavras para descrever tanta beleza. Registro para tentar guardar o pouquinho do que é.

FOTO 02 – ESPELHO NATURAL

02.JPG

Paisagem do campo que encanta.

FOTO 03 – COTIDIANO

03.JPG

A formação no céu complementa tradicionais espaços na cidade.

FOTO 04 – COMPANHIA

04.JPG

Uma dunkel e meu guardião.

FOTO 05 – AMANHECER

05.JPG

Impossível ficar alheio à uma visão dessas.

Comecei com um entardecer, termino com o amanhecer, a ordem dos fatores não altera o produto, no caso, sua beleza. Que tenhamos um belo mês de agosto também!